quarta-feira, 11 de julho de 2012

Vocação do poder: Como se faz política no Brasil

 Um excelente documentário para assistir antes de mais uma campanha eleitoral

O Brasil inicia mais um processo eleitoral, agora para escolha de  5 mil prefeitos e milhares de vereadores. Em um país que, malgrado as mudanças da última década, continua sendo um dos países de maior desigualdade social do mundo.

O fosso entre os mais ricos e os mais pobres não diminuiu. Reformas estruturais no campo econômico( reforma tributária para que os ricos paguem imposto) e reforma política( desmercantilização da política) não saem do campo da retórica. O sistema eleitoral de voto nominal e com financiamento privado de campanha torna a disputa eleitoral um jogo restrito  a elite econômica dominante.

Sem dinheiro ninguém se elege, as exceções só servem para comprovar a regra. Para quem duvida é só pesquisar quanto custou a eleição dos últimos eleitos de cada partido e qual a classe social que predomina nos parlamentos. Dessa forma as eleições, para qualquer candidato sem recursos, serve apenas para legitimar o jogo como ele é jogado. As regras não mudam pois quem deveria mudá-las é quem se beneficia, portanto, como não temos políticos suicidas, dificilmente as regras do jogo serão mudadas.

Um excelente material para compreender, se é que alguém ainda não compreendeu, como funcionam as eleições municipais no país, qual sua lógica, seus protagonistas,  é o documentário "Vocação do Poder". O filme documenta a campanha realizada por seis candidatos ao cargo de vereador da cidade do Rio de Janeiro, durante as eleições municipais de 2004.

O documentário é muito bem feito, principalmente na escolha do perfil dos participantes, seja no que a maioria têm comum, como a questão da juventude; a maioria são jovens, assim como o fato de todos participarem pela primeira vez de uma campanha, seja nos elementos da diversidade quanto a origem social: uma candidata vinculada à igreja evangélica; dois jovens oriundos de família de politícos tradicionais; dois jovens de classe média e uma jovem da periferia. Também é garantida a representatividade partidária com a participação de candidatos dos maiores partidos.

O futuro da nação: A pastora evangélica, o jovem classe média do PSDB, o herdeiro de uma família de políticos tradicionais; o jovem filho do empresário da política; um jovem classe média "Zona Sul" do PT e  o representante da juventude da periferia. Um retrato do que é o "fazer política" no Brasil

 O documentário traça um panorama das ações de cada candidato durante todo o processo eleitoral, acompanhando a campanha, suas relações familiares e comportamentos durante o processo.

O Filme têm o mérito de captar com muita nitidez o sentido da politica para estes candidatos, o que é  o reflexo da visão predominante hoje do significado da política. Este documentário nos mostra de forma cabal porquê a democracia liberal está em crise. Uma crise já se torna explícita nos países capitalistas centrais( modelo que nós seguimos) com os altos índices de abstenção e as mobilizações sociais que exigem democracia real.

Enquanto no Brasil, pelo fato do voto ser obrigatório, não fica explícita a descrença, não é difícil comprová-la; qualquer pesquisa mostrará o que se fala nas ruas, nos bares, nas conversas familiares sobre os "políticos" e a "política" . A corrupção estrutural, a irrelevancia do que fazem e o que ganham por isso, o despreparo e principalmente o enorme abismo entre representantes e representados, torna a democracia representativa cada vez mais deslegitimada perante a maioria das pessoas.

Uma crise que atinge em cheio a forma partido,  meras máquinas eleitorais ou estruturas fisiológicas que servem apenas como instrumento de interesses econômicos particulares. Mesmo os partidos ditos de esquerda não conseguem se diferenciar em sua lógica interna. As oligarquias dos "mandatos parlamentares" compõe os grupos de interesse e poder. Sem mandato, ou vinculado a algum mandato, o filiado não existe.

Toda essa realidade salta aos olhos neste documentário que apresenta em um universo restrito a lógica universal dominante na política brasileira.

Não deixe de assistir este filme.

Nenhum comentário: