sábado, 13 de agosto de 2011

Fidel, 85 anos: dignidade e firmeza de princípios
































Fidel, 85 anos : Dignidade e firmeza de princípios

Paulo Marques

Se fosse possível expressar em duas palavras o que significa Fidel Castrou, poderíamos dizer: Dignidade e princípios. Fidel é admirado e odiado por isto. Quem o odeia não consegue aceitar que alguém mantenha a dignidade de fazer de sua vida uma luta permanente por aquilo que acredita, e a firmeza de princípios que não se negociam, o que no caso de Fidel é o combate contra esse mundo, capitalsita, como ele é, baseado na lógica da desigualdade e da exploração do homem pelo homem. Tido como algo "natural", o sistema capitalista tem, nestes valores, o seu motor e sua essência.

Fidel completou 85 anos neste sábado 13 de agosto de 2011. Sua vida já entrou para a história. Foi no distante ano de 1953 que um jovem advogado de uma pequena ilha caribenha, até então conhecida apenas como "um Cassino dos EUA", organizou um levante armado contra o ditador feroz que governava a ilha. O jovem advogado que tinha tudo para uma brilhante carreira como "defensor" do sistema, torna-se seu principal inimigo. O episódio conhecido como "ataque ao quartel Moncada", se deu em 26 de julho de 1953. A ação fracassou e Fidel foi preso. O que parecia ser uma derrota, foi na verdade o inicio do que viria a ser o "Movimento 26 de julho" que 5 anos depois derrubaria a ditadura de Fulgencio Batista e inauguraria a primeira revolução socialista da América Latina.

Foi na preparação da revolução, em 1956, no exílio de Fidel no México, após sua libertação da prisão, que ele encontrou outro jovem que entraria para história. O médico argentino que, como FIdel, queria mudar o mundo. Che Guevara, seria um dos principais comandantes da revolução cubana, junto com Fidel e Camilo Cienfuegos. Os três seriam o cérebro e o coração da revolução. A epopéia dos 12 militantes que sairam do México em um pequeno iate e chegaram clandestinos em Cuba e que em 4 anos se transformaram o Movimento 26 de julho em um poderoso exército de camponeses, já faz parte da historica dos povos que lutam, em todo mundo, por sua liberdade e emancipação.

No quintal dos império americano, em plena guerra fria, uma pequena ilha enfrentava o capitalismo, buscando construir uma outra forma de desenvolvimento, baseada em princípios profundamente diferentes daqueles dominantes, ou seja, igualdade,liberdade, solidariedade e justiça social.

A Batalha por esse objetivo ainda não chegou a seu final. Passados mais de 50 anos Cuba ainda enfrenta o império americano e Fidel como símbolo máximo desta luta, continua sendo odiado por todos aqueles que se sentem ameaçados pela idéia de que um outro mundo seja possível e de que é possível lutar e vencer, por mais que o inimigo pareça forte e poderoso.

Fidel e o povo cubano se confundem; dignidade e firmeza de princípios compõe a característica tanto de um como de outro. "O Ditador", ainda não foi "derrubado", dizem, tristes, os capitalistas de todo o mundo. Até agora quem foi derrubado foram apenas os "democratas" do capitalismo. Por que será? Se até os ditadores comunistas do Leste Europeu caíram, porque Fidel ainda resiste? Porque o povo cubano ainda ama este "ditador"?? Porque Fidel é respeitado e adorado pelos pobres de todo o mundo e ao mesmo tempo odiado pelos ricos? Porque este velho revolucionário ainda incomoda? Não seria sua vida um "perigoso" exemplo para as futuras gerações?

Esse é o homem que completa 85 anos nesta sexta. O "ditador" que enfrentou um império,e que a sua maneira procurou contribuir para uma idéia de sociedade sem crianças passando fome ou analfabetas. Onde a solidariedade é um valor maior que qualquer individualismo egoísta e predatório.

A idéia de que o mais importante a ser exportado para o mundo é a solidariedade para todos os povos que lutavam por liberdade e por uma vida melhor.

O comandante Fidel, no alto de seus 85 anos continua em plena atividade intelectual e, por isso, incomodando muitos, com o pensamento vivo e crítico de quem ainda tem muito a contribuir para uma sociedade menos miserável do que essa que dizem ser a única possível.

Longa vida comandante, longa vida a sua dignidade e firmeza de princípios.

Um comentário:

Graziele Saraiva disse...

Compartilhado, SALUDOS! GRAZI http://grazaza.blogspot.com/2011/08/fidel-85-anos-dignidade-e-firmeza-de.html