domingo, 3 de abril de 2011

Euskal Herria: Adelante con la pelota




A luta continua: O povo basco volta às ruas pelo direito a ter um partido político



Convocada pelos signatários do Acordo de Gernika e apoiada por várias centrais sindicais, agentes políticos e sociais, a marcha pela legalização e em defesa da normalização de Euskal Herria partiu pouco depois das 17h30 de La Casilla, em Bilbo.

Durante a manifestação, os participantes exibiram o cartaz da convocatória, no qual se podia apreciar o Gernika, de Picasso.

Atrás da faixa, com o lema «Euskal Herriarentzat normalizazioa. Legalizazioa orain» (Normalização para Euskal Herria. Legalização já), encontravam-se os representantes dos partidos políticos, sindicatos e agentes sociais que subscrevem o Acordo de Gernika. Entre estes, estavam também os promotores do Sortu, a nova força política da esquerda abertzale que o Alto Tribunal espanhol ilegalizou esta mesma semana.

O acto final decorreu em frente ao edifício da Câmara Municipal de Bilbo. Em nome dos signatários do Acordo de Gernika, tomaram a palavra a representante dos Gazte Abertzaleak Maider Karrere e o jovem independentista Mikel Totorika.

Instalar a «resignação»
Entre outras coisas, afirmaram que nos últimos tempos se tem tentado instalar em Euskal Herria, a partir de âmbitos variados, um sentimento de resignação, mas a isso contrapuseram a manifestação de hoje como exemplo do contrário.
Também lembraram que os signatários do Acordo de Gernika desafiaram directamente tanto a ETA como os governos espanhol e francês. A esse respeito, disseram que a organização armada já respondeu de forma positiva e que voltou a mostrar publicamente o seu compromisso com o processo empreendido.

Criticaram os estados espanhol e francês pelo facto de não terem respondido de forma positiva ao repto por eles lançado. Mais ainda, criticaram o facto de a sua resposta ter consistido em «deter, torturar e ilegalizar o Sortu». Não obstante, insistiram na ideia de que Euskal Herria conseguirá alterar a atitude de bloqueio dos estados espanhol e francês.

A marcha de hoje foi convocada pelos signatários do Acordo de Gernika, depois de o Supremo espanhol ter recusado a legalização do novo partido político da esquerda abertzale, Sortu.

Ontem, o Alto Tribunal espanhol emitiu finalmente o auto ilegalizador, onde ficaram patente as diferenças de critérios entre os magistrados, ao existir um voto particular que defende a legalização do Sortu e que foi subscrito por sete dos 16 juízes que compõem a sala especial 61.
Fonte: Gara

Nenhum comentário: