quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Dilma vence mas a direita não está morta: é jovem e tem curso superior



Mais uma batalha ganha, mas a guerra continua...


Paulo Marques


Ainda está para ser analisado o grau de importância da internet nesta campanha. Muitos analistas chegaram a identificar nas informações difundidas nas redes sociais( facebook, orkut, twwiter) contra Dilma como um dos fatores que levaram as eleições para o segundo turno. Ainda não podemos dizer se essa afirmação tem lastro na realidade ou é um exagero. Entretanto, o que ficou muito claro em função das redes sociais é que as opiniões antes restritas a círculos de amigos e conversas de bar chegam hoje a milhares de pessoas em todos os lugares. Pode-se também conhecer de quem é a opinião, qual a classe social, a formação acadêmica entre outras informações dos usuários das redes. Nesta campanha, como diria Lula "nunca antes na história deste país" os valores mais reacionários e obscurantistas tiveram tanta divulgação e reprodução.

Os preconceitos, racismos e machismos que compunham a base argumentativa dos usuários da rede contra Dilma não foram adquiridos neste ano, grande parte dos internautas são estudantes, filhos da classe média dos grandes centros urbanos. suas opiniões e formas de realizar o debate político é reflexo dos seus valores, demonstra explicitamente como vêem o mundo em que vivem e quem vive a sua volta.

Com a divulgação do resultado final das eleiçÕes que deu a histórica vitória eleitoral a primeira mulher, de esquerda, a presidencia do Brasil, uma quantidade de tuiteiros apoiadores de Serra, escreveram frases xenófobas contra os nordestinos, por serem estes os "culpados" pela derrota do "homem de bem". Rodrigo Vianna no seu blog "o Escrevinhador"divulgou o video que colocamos neste post, onde pode-se dimensionar o que passa na cabeça de muitos jovens boçais que compõe a base de apoio da direita obacurantista e xenófoba que surgiu desta eleição.

A noticia positiva é que a OAB de Pernambuco denunciou no Ministério Público os "tuiteiros do bem" por crime de racismo e xenofobia.

Essa é só uma amostra do que teremos daqui para frente. Serra, que assumiu o posto de timoneiro da nau obscurantista do neo-udenismo de plantão já avisou que não diz adeus, mas até logo. Ou seja, com seus 44% de votos almeja o posto de comando da reorganização do exército de calouros da OPUS DEI, da "ala moça"da TFP e remanescentes do Comando de Caça aos Comunistas para continuar o terceiro turno.

O que poderia parecer delírio de quem não tem compromisso com nada além de seu umbigo, é na verdade o reflexo de uma base social de direita que está muito viva e atuante. Grande parte dos eleitores do PSDB/DEM sabem muito bem o que defendem e o que querem. Tem apoio estratégico da grande mídia do PIG, capital, intelectuais, redes sociais etc...

E a esquerda???? Além do MST, qual o movimento social que tem capacidade de mobilização e estratégia de disputa de hegemonia??? E os partidos que se identificam como esquerda? Continuarão mirando na própria esquerda enquanto a direita nada de braçada???

A grande vitória de Dilma é sim uma vitória das transformações sociais e econômicas que os trabalhadores precisam e que devem avançar, é também a muralha contra a volta do neliberalismo, mas todos sabemos é um governo de coalizão com setores do capital, ou seja, de um setor da direita, mais moderna, mas direita. Esteve no governo Lula como estará no governo Dilma para impedir qualquer reforma mais profunda. Também temos um congresso de maioria governista mas não de maioria de esquerda. Portanto, não é possível ter ilusÕes de que os avanços necessários serão fáceis. Sem pressão social e organização popular contra-hegemônica as condiçÕes de avanços serão minimos.

Nos oito anos de Lula diversas agendas transformadoras foram elaboradas com a participação dos movimentos sociais através das inúmeras Conferências. O desafio é conseguir colocar em prática essas agendas. Algumas são estratégicas como por exemplo a agenda da democratização das comunicaçÕes.

Depois destas eleições acredito que não restem mais dúvidas por parte da esquerda do que significam o controle dos meios de comunicação nas mãos de 4 familias. Além de porta-vozes do ideário conservador e reacionário eles cumprem o papel de "formador" de uma nova geração de "intelectuais orgânicos" do conservadorimso que mantém viva a direita e seus valores do passado.

A agenda da democratização da informação, da terra, da economia são elementos de unidade da esquerda que tem um grande poder de mobilização.Portanto,mãos a obra.

Nenhum comentário: