sábado, 25 de setembro de 2010

MONO JOJOY PRESENTE






As FARC-EP e a morte do comandante Jorge Briceño “El Mono Jojoy”


Níkolas Stolpkin para Kaos en la red
Traduzido para o portugues por "A BAtalha"

Toda a algazarra de júbilo montada pela oligarquia colombiana frente ao covarde assassinato do comandante Jorge Briceño não era de se estranhar. Agora vamos ver até quando durará toda essa embriaguez inútil quando se derem conta novamente de que as FARC-EP estão muito longe de serem derrotadas.

Crer obstinadamente que com a morte de um lider militar como Jorge Briceño as FARC-EP vai desmoronar é uma visão infantil que se tenta vender as massas por meio da propaganda burguesa para tapar suas próprias derrotas e toda a putrefação que vai se transformando a oligarquia colombiana junto ao seu próprio Estado burguÊs. E eles sabem bem disso. Aqui não estamos falando de qualquer organização, aqui estamos falando de um verdadeiro EXÉRCITO com uma estrutura político-militar que vem se construindo, com seus avanços e retrocessos, oficialmente, desde o ano de 1964.

Que morra um, dois ou mais líderes dentro das FARC-EP não significa que haveremos de vê-la derrotada. De nenhum modo. A morte do comandante Jorge Briceño, "EL Mono Jojoy", só poderia REAFIRMAR ainda mais o compromisso de luta das Forças Armadas Revolucionárias da Colombia- Exército do Povo (FARC-EP) para derrotar os opressores do povo colombiano que não tem nenhuma vergonha em arrendar a pátria colombiana ao imperialismo norte-americano e a grande burguesia internacional.

As forças rebeldes farianas sabem muito bem onde estão postos seus pés; sabem que estão dentro de uma guerra e que dentro de uma guerra a morte os pode surpreender a qualquer momento. Mas, sobretudo, sabem bem que é melhor morrer combatendo que morrer curvado e subjugado pelo cruel opressor.

Saiba a "esquerda"latinoamericana que morreu um guerreiro, um verdadeiro guerreiro, destes que tanta falta nos faz na América Latina e no Caribe. Não, não morreu nenhum "terrorista", nenhum "sanguinário", nenhum "traficante" o como querem chamar o grande comandante Jorge Briceño. Morreu um verdadeiro lutador, um verdadeiro COMUNISTA. E que vergonha deveriam sentir os muitos que ostentam e procuram monopolizar um conceito que têm sido manchado descaradamente como é hoje em muitas partes o COMUNISMO. Pseudo-Comunistas é o que são. Igual como os que se dizem "socialistas", pseudo-socialistas é o que são!!!!

Poderão ter nos tirado um verdadeiro guerreiro com tantos outros, mas jamais poderão nos tirar o exemplo que ele deixou especialmente para suas tropas e o povo rebelde de América Latina e do Caribe.

Morreu o filho do grande comandante Jacobo Arenas e de nosso grande revolucionário Manuel Marulanda Vélez, mas seu exemplo de luta ficará como um farol junto aos camaradas que já partiram e iluminarão ainda mais o caminho dos filhos que deixou e dos que haverão de conduzir o povo a sua total libertação.

Latinoamérica rebelde não chora seus mortos, se despede com o punho esquerdo levantado e com um ¡¡¡Hasta siempre compañero!!! ¡¡¡Hasta vencer o morir!!!

Nenhum comentário: