sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Por quê a direita odeia tanto o Pibe??







Tem lado: A midia burguesa odeia Maradona pelas posições políticas que defende

O que realmente não perdoam de Maradona
Artigo de JM Alvarez para www.kaosenlared.net / http://jmalvarezblog.blogspot.com/
tradução de “ A Batalha “para português.

Diego Armando Maradona tem atraído a atenção da mídia, após as declarações realizadas depois de classificar a seleção da argentina para o próximo mundial. Se bem, foram dirigidas contra a imprensa argentina, a mídia espanhola fez eco das mesmas de uma maneira tão gritante que parecem haver sido eles o objeto das críticas.

Pude constatar pessoalmente a quantidade de insultos que os jornalistas esportivos hispanicos têm dedicado ao argentino: imbecil, drogado, grosseiro ou bêbado são a mostra de algumas das pérolas esculpidas pelos “profissionais” que deveriam estar curados de espanto depois de viver situações como o assassinato em Madri de um torcedor, pelo fato de ser um “puto basco”. Na realidade, estes ataques escondem o ódio e o rancor que sentem em relação a Maradona devido a seu posicionamento político, o que ele disse é o de menos.

O que não perdoam a Maradona, é que diga somente “há brancos e negros” e os cinzas não existem, eles sabem de sobra que esse tom é uma invenção das democracias de mentira, destinado a enganar incautos.

O que não perdoam a Maradona, é que se declarou ateu depois de visitar o Vaticano e manifestar a incoerência de que chamem “igreja dos pobres” aquela que tem “cheio de ouro” o teto de seu templo mais emblemático.

O que não perdoam a Maradona, é que chame de assassino e lixo humano um presidente dos Estados Unidos- paradigma da “democracia”-, mostre sua admiração pelo Che Guevara e proclame que os políticos que ofendem Fidel Castro não chegam nem a sola dos seus sapatos.

O que não perdoam a Maradona, é que tenha se declarado “chavista” e mostre sua solidariedade com o processo iniciado em vários países da América Latina, que tem por objetivo libertar-se do imperialismo, exigindo o direito a desenvolver-se sem tutelas externas.

O que não perdoam a Maradona, é que um personagem mundialmente conhecido não seja “politicamente correto”, tenha reconduzido sua vida optando por aliar-se com aqueles que lutam por uma ordem mundial justa, denuncie as falsas democracias e reivindique a democracia popular e a revolução necessária para consegui-la.

O que, em definitivo, não perdoam a Maradona é que teve a dignidade de reconhecer publicamente seus problemas com as drogas e o desejo de superá-lo, uma dignidade que carecem quem jamais dirá que, para levar um ritmo de trabalho normal devem estimular-se artificialmente.

Desacreditando a Diego, tentam desacreditar os dirigentes e estadistas que se enfrentam com o imperialismo, essa é a mensagem subliminar; portanto, essa gentalha (como disse Maradona) que siga mamando, balançando o rabo para o seu dono que lhe dita o roteiro de cada dia.

Um comentário:

A.TASCA disse...

GENIAL, PEGASTE EL ESPIRITO DO TEMA.
SOS BARBARO!!!
GRACIAS POR PRESTIGIAR UN GDE COMPATRIOTA.!!!
ABRAÇO VERMELHO.