segunda-feira, 10 de agosto de 2009

A grande mídia também compõe a Societas Delinquentium


Na foto: 2006: Dona Yeda Rorato(PSDB) sendo catapultada para o palácio Piratini pela equipe formada pelo Sr. Sirotski Jr.(RBS), Senador Pedro "Dedo Podre" Simon (PMDB), Jorge Gerdau (Empreendedor de sucesso) e Eliseu Padilha(PMDB), ou seja, os responsáveis por tudo isso que vive o Rio Grande hoje.

Por Paulo Marques

É de conhecimento até do mundo mineral o posto que ocupa o diário da Azenha( jornaleco que pertence ao grupo RBS que mantém um monopólio ilegal das comunicações no RS e SC) no PIG ( Partido da Imprensa Golpista) que é formado pelos jornalões Folha de São Paulo, Estadão, O Globo e JB. Vale lembrar que o critério para participar no PIG é ter apoiado os 20 anos de Ditadura Militar e continuar militando pelos interesses das oligarquias econômicas do país. Para isso a tarefa atual do PIG, executada de forma militante nos últimos anos foi de combater qualquer governo que busque minimamente democratizar e republicanizar o país. O Alvo preferencial têm sido o governo Lula e os governos de esquerda, sejam eles locais, nacionais ou mesmo internacionais, assim como os movimentos sociais, constantemente criminalizados.

A militancia anti-democrática do PIG têm se acentuado neste ano, principalmente em função da proximidade da primeira Conferência Nacional de Comunicação, a ser realizada em dezembro. A ameaça aos seus interesses, ou seja, a manutenção do controle das comunicações pelas suas famílias têm sido o grande temor das poderosas oligaquias que continuam impávidas no seu controle anti-republicano sobre a informação.

Esse preâmbulo sobre o que caracteriza o PIG nos auxilia a compreender o significado da manchete de hoje, segunda-feira, 10 de agosto de 2009 do diário da Azenha (Zero Hora, único jornal que declara o valor de sua credibilidade no título, ou seja, zero, à direita).

Um dia após uma parte significativa do processo do MPF de improbidade administrativa contra a governadora Yeda Crucius do PSDB ser divulgado, no qual a mandatária maior do Estado do Rio Grande do Sul é acusada de pertencer a uma "Sociedade de Delinquentes" que assaltou o Estado ao surrupiar R$ 44 milhões do erário, o nobre membro gaúcho do PIG, mantém sua postura de porta-voz oficial da Sociedade de Delinquentes.

Na manchete estampada na capa do diário lê-se "Defesa sustentará que MPF não tinha poder de incluir Yeda na ação". Ou seja,a noticia principal do diário é a tentativa desesperada da defesa de desqualificar as 1300 páginas que compõe a acusação, elaborada pelos procuradores do MPF.

Além disso encontramos elogios ao novo "advogado" da governadora. Na página de comentários políticos da colunista mor do diário, podemos ler a seguinte nota com inequívoco tom de satisfação:

"A escolha de Fábio Medina Osório (C) como advogado de defesa de Yeda Crusius não se deu apenas por ser autor de livros sobre improbidade administrativa. Yeda foi aconselhada a contratar um advogado estabelecido no Rio Grande do Sul e que esteja acessível para tirar as dúvidas dos aliados.

O líder do governo, Pedro Westphalen (D), aprovou a escolha:


– Ele é um craque. Já na largada mostrou que conhece o assunto. Se não tivermos embasamento jurídico, fica difícil a ação política.

Nada a considerar sobre o fato do tal novo "advogado" da governadora ter sido o sub=secretário de um dos réus, José Otávio Germano, quando o mesmo foi Secretário de Segurança no governo Rigotto, época em que começou a funcionar a Sociedade dos Delinquentes.


e logo depois outro comentário sobre a ótima escolha feita:

Diz a colunista com grande alegria : " Medina é amigo do juiz espanhol Baltasar Garzón, aquele que não deu sossego ao ditador chileno Augusto Pinochet. Foi ele o responsável pela vinda de Garzón a Porto Alegre em 2001 (foto ao lado) e 2004.

Ou seja,Zero-Hora busca passar a idéia de que o advogado da governadora têm credencias para desqualificar qualquer acusação, mesmo que estas tenham sido realizadas com base e um conjunto de provas reunidas em mais de 1300 páginas de documentação.

Portanto, observa-se que Zero-Hora, diário do grupo RBS, segue firme na defesa do SEU GOVERNO, o mesmo diga-se de passagem que está no comando da capital gaúcha.

Só é possível compreender essa posição de Zero -Hora quando analisamos o papel que a RBS exerce como verdadeiro partido da direita no Estado (e membro destacado do PIG), organizador e articulador das forças políticas conservadoras, que têm logrado êxito nos últimos embates eleitorais no Estado(Rigotto, Yeda, Fogaça).

A explicação é simples, com a maioria dos quadros políticos da direita gaúcha atolado na "Sociedade de Delinquentes" , o grupo RBS tenta fazer o impossível para salvar alguma coisa que lhe permita reaglutinar politicamente a direita em 2010.

Nesse caso, a tarefa será inglória se a escolha recair sobre uma das fichas, o ex governador Rigotto, que terá que explicar como começou a roubalheira do DETRAN no seu governo. Da mesma forma se a opção for o inodoro, insípido, incolor e incompetente prefeito Fogaça, a tarefa inglória do grupo RBS será desvincular sua imagem de seus padrinhos( Padilha e Zachia por exemplo), o que o jornaleco já vem ensaiando a bastante tempo.

Em suma, para o grupo RBS, qualquer coisa deve ser feita para impedir o retorno do PT ao Piratini, até mesmo enfrentar os interesses do PSDB nacional, que já abandonou os delinquentes gaúchos a um bom tempo, vide a Folha de São Paulo et caterva.

Nenhum comentário: