segunda-feira, 1 de junho de 2009

Toma posse o primeio presidente de esquerda da história de El Salvador


A vez de El Salvador

O jornalista Carlos Mauricio Funes Cartagena, de 49 anos, se converteu no primeiro presidente de esquerda da historia de El Salvador, ao tomar posse hoje na capital San Salvador.

Funes, candidato da Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional (FMLN) organização guerrilheira que participou da guerra civil salvadorenha entre 1980 y 1992 e transformou-se no maior partido de esquerda do país no final da década de 1990, ganhou as eleições de 15 de março passado com 51,2% dos votos.

O presidente eleito nasceu em San Salvador em 18 de outubro de 1959 e realizou seus estudos primarios no Colegio Centro América e secundarios com os jesuitas do externado San José, onde anos deppois foi professor. Formou-se em Letras pela Universidad Centroamericana José Simeón Canas (UCA). Em 1986 iniciou sua carreira de jornalisnta no Canal 10, estatal.

En 1991 dirigiu o Centro de Audiovisuais e a Radio de la UCA e no ano seguinte dirigiu o programa "Entrevista Al Día", que começou a lhe dar popularidade pelo estilo incisivo de suas perguntas.

Em 11 de novembro de 2007 foi proclamado candidato a presidente pela primeira vez pela FMLN, ficando em segundo lugar.

Na chapa construída pela FMLN para as eleições de 2009 Funes contou com Salvador Sánchez Cerén, um dos líderes históricos da guerrilha, como candidato a vice-presidente. Ele foi um dos cinco comandantes da FMLN. Utilizando o pseudônimo de Leonel González, combateu nas zonas rurais onde as Forças Populares de Libertação(FPL) seu grupo de origem, detinha o controle.
Quando a FMLN se converteu em partido político legal, Sánchez Cerén foi eleito deputado. No ano passado publicou um livro autobiográfico denominado "Com sonhos se escreve a vida".

A FMLN foi fundada em 10 de outubro de 1980, quando houve a fusão de cinco organizações político-militares que buscavam chegar ao poder pela luta armada.

A guerra civil de ElSalvador deixou um saldo de 70 mil mortos depois de 12 anos de luta aberta, até a assinatura dos acordos de paz, em 16 de janeiro de 1992, entre o então presidente Alfredo Cristiani e o comando da FMLN.

A vitória eleitoral da FMLN depois de 30 anos de sua fundação, significa uma enorme conquista para o povo salvadorenho, que assim como a Bolívia, Venezuela, Equador, Nicarágua, Cuba, inicia um novo período na construção de sua libertação.

Nenhum comentário: