quinta-feira, 9 de abril de 2009

Apenas um peão no jogo deles. Até quando?




APENAS UM PEÃO EM SEU JOGO (Bob Dylan)

Uma bala por detrás dos arbustos
tirou o sangue de Medgar Evers
Um dedo puxou o gatilho a seu nome
Um encosto escondeu no escuro
Uma mão deu a faísca
Dois olhos fizeram mira
Atrás, o cérebro de um homem
Mas ele não pode ser culpado
Ele é apenas um peão em seu jogo

Um político do sul prega para o pobre homem branco
"Você tem mais do que os negros, não reclame
Você é melhor do que eles,
você nasceu com pele branca." ele explicou
E o nome Negro
É usado obviamente
Para o lucro do político
Enquanto ele sobe em fama
E o pobre branco permanece
No vagão do trem
Mas não é ele a se culpar
Ele é apenas um peão em seu jogo

O deputado, o xerife, os soldados
Os governadores são pagos
E os delegados e policiais recebem o mesmo
Mas o pobre homem branco é usado
Nas mãos de todos estes como uma ferramenta
Ele está preso em sua educação
Desde o inicio pela regra
Que a lei está com ele
Para proteger sua pele branca
Manter o seu ódio
Para que nunca pense direito
No estado que ele está
Mas não é ele a culpar
Ele é apenas um peão em seu jogo

Dos barracos da pobreza
Ele enxerga pelas frestas os trilhos
E a batida das patas ecoam na sua mente
E ele é ensinado como andar em grupo
Atirar pelas costas
Com seu punho cerrado
Enforcar em um linchamento
Se esconder atrás de uma capa
Matar sem dó
Como um cachorro na corrente
Ele não tem nome
Mas ele não é de se culpar
Ele é apenas um peão em seu jogo

Hoje Medgar Evars foi enterrado
Pela bala que o pegou
Eles o abaixaram como um rei
Mas quando as sombras do sol que se põem sobre aquele
Que atirou a pistola
Ele verá sua cova
Na pedra que permanece
Talhado ao lado de seu nome
O epitáfio explicando:
Apenas um peão em seu jogo

Nenhum comentário: