sexta-feira, 27 de março de 2009

E no país da maior desigualdade social do mundo...


Nesta semana, Eliana Tranchesi, a dona da loja mais cara do Brasil, a famosa "Daslu" foi presa pela Polícia Federal . A PF cumpriu mandato de prisão em razão da empresária ter sido condenada pela 2ª Vara Criminal de Guarulhos. Eliana foi levada para a Penitenciária Feminina do Carandiru, na zona norte da capital paulista. A informação é da Agência Brasil. O importante dessa noticia é que podemos visualizar um pouco o "modus operandi "da hiper-burguesia brasileira, que se locupleta neste que é um dos países de maior desigualdade social do mundo.
Interessante também é perceber as relações políticas que se estabelecem neste meio. Uma fronteira muito tênue entre a riqueza, o crime e a política.
Para ilustrar o pensamento fútil dessa gente, publicamos a entrevista da filha do ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (nome forte do PSDB para as eleições ao governo de São Paulo em 2010) . A jovem, que passou de cliente à "trabalhadora" da Daslu, demonstra toda a futilidade que marca o perfil da elite brasileira, ou "lúmpen-burguesia brasuca" como bem define o Cristóvam Feil, a mesma que odeia pagar impostos, que sonega, que explora mão de obra barata, que vive de fraude, contrabando e ainda se considera dona do país.

Essa entrevista foi pescada do http://www.diariogauche.blogspot.com/ de hoje:


O estilo Sophia Alckmin – a nova gerente da boutique Daslu


Publicado na Vejinha São Paulo (Maio de 2005)


Filha mais velha do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, a primeira-daminha do estado [as revistas do grupo Abril usam conceitualmente letra minúscula para grafar “Estado”, por motivos ideológicos óbvios, nota do blogueiro], agora é gerente de novos negócios da Daslu.

Aos 25 anos, a jovem advogada Sophia Alckmin tem a missão de cuidar dos interesses da butique mais chique do Brasil. Ou seja, respira luxo quase 24 horas por dia.

Como você define seu estilo?

Sou superbásica. Eu gosto de jeans, camiseta e sandálias.

E para ir a uma festa?

Quando é um casamento e sou madrinha, vou de vestido longo, bordado. Mas estou na fase de vestido curto, na altura do joelho. E também gosto de um decote.

Qual o tamanho ideal do salto?

Gosto de um salto 7 (ela tem 1,56 metro).

E a marca de sapato que mais tem em seu guarda-roupa?

A de que mais gosto é Manolo Blahnik (badaladíssimo designer italiano que cobra no mínimo 170 dólares por um par de sapatos).

Um perfume...Petite Cherie, da Annick Goutal.

Você tem um ritual de beleza?

Tenho. Minha mãe é supervaidosa e eu aprendi com ela. Desde os 15 anos eu lavo o rosto de manhã e à noite. Nunca durmo de maquiagem e sempre passo creme hidratante e protetor solar.

Aliás, você usa roupa da dona Lu ou vice-versa?

Ela é mais alta do que eu, não serve. Para não ser injusta, às vezes trocamos malhas. E, é claro, os acessórios: bolsas, brincos, pulseiras...

E maquiagem?

Passo um pozinho terracota da Guerlain para dar um ar de bronzeadinha e rímel da Chanel para alongar os cílios.

Um sonho...Conhecer o Egito. Adoro essas viagens exóticas.

Você está namorando?

Sim, há nove meses (o empresário carioca Mario Ribeiro).

E qual o último presente que você ganhou dele?

Um iPod que carrego na minha bolsa.

Você começou a freqüentar a Daslu como compradora ou vendedora?

Nas primeiras vezes em que eu vim, estava com a minha mãe. Ela fazia compras, eu assistia. Aí virei vendedora e tudo começou.

Que tal ser chamada de dasluzete?

Acho que as pessoas gostam de rotular, mas não dou a mínima.

Tem saudade do tempo de vendedora?

Adorava, fiz várias amigas. Depois passei a trabalhar no setor de importados [alô PF, alô Ministério Público, a moça está entregando o serviço...], nas compras de marcas nacionais e agora sou gerente de novos negócios.

Como é ter um salário maior que o do seu pai?

Desculpe, não falo sobre isso.

Qual o preço máximo que você paga, por exemplo, num jeans?

Depende. Acho que não existe um valor máximo para nada [eis a expressão viva da mentalidade XYZ, a ética da nossa lúmpen-burguesia brasuca, que a Veja chama de "Classe AAA"]

..............A “Gerente de Novos Negócios” da Daslu não foi presa, ontem, apesar de ter trabalhado no setor de importados (ou de contrabando) da loja de dona Eliana Tranchesi, agora correcional no Carandiru.

Em pensar que nós estivemos à beira de ter essa gente vazia e rasteira governando o Brasil...

Nenhum comentário: