domingo, 15 de fevereiro de 2009

Mensagem do Presidente


Hoje 15 de fevereiro!!! Ser ou não ser

Hugo Chávez


Tem sido longa a marcha para chegar a esta data de hoje, 15 de fevereiro. É uma data gloriosa, data luminosa, de consolidação dos plenos direitos e poderes democráticos. Porque esse é o destino que nós temos traçado e no qual estamos dispostos a deixar a alma para conquistá-lo. Tempo histórico que nos compromete, tempo de nossos ancestrais e de nossos netos. Não será uma batalha a mais: nessa ocasião temos a oportunidade de determinar o horizonte, reimpulsar o devir de um povo comprometido com os altos desígnios desta hora.

Avançar no sonho e na promesa libertária de nosso pai libertador, encarná-lo e realizá-lo, passa pelo encontro que hoje nos espera: o que começou a forjar-se a princípios do século XIX, entre o fio do pensamento e o fio da espada, o podemos consolidar neste domingo, com nossa firme vontade de darmos o direito de ser real e verdadeiramente livres, real e verdadeiramente soberanos.

O que está em jogo hoje, 15 de fevereiro, pode sintetizar-se em um dilema que deve ser resolvido pelo povo: seguir avançando até o exercício pleno da soberania popular ou a pretensão contra-revolucionária de colocar freios, obstáculos a democracia revolucionária. É o dilema de Hamlet de Shakespeare: ser (o SIM) ou não ser (o NÃO).

Em dez anos temos recheado a história venezuelana de sentido: de sentido bolivariano, aberto, popular; de sentido construtivo, criativo e libertador. Antes a história não nos pertencia, outros tramavam e nós somente padecíamos. Éramos simples peões de um macabro xadrez colocado pelo império e seus lacaios apátridas. Isso mudou e mudou para sempre, em dez anos.: o povo herdeiro das grandes batalhas, encarnação viva de todas nossas lutas, que tem posto sangue e osso, alma e coração nesta revolução; temos sido e somos, todas e todos, um só protagonista estelar das transformações empreendidas: transformações que não acabam ainda porque se requer que se siga completando o sagrado desafio que nos colocamos: ter Pátria Livre, Pátria Boa e Bonita, Pátria Socialista, para nós, para nossos filhos e filhos de nossos filhos.

Quero dizer que temos proposto ao país uma orientação que vem perfilando-se entre acertos e dificuldades, é certo, mas que desde que a parimos tem tido o mesmo horizonte: o nosso povo fazendo um Povo cada vez mais digno dia a dia; um Povo que se reconhece no trajeto percorrido e compreende o que o porvir exige. Em definitivo: um Povo que sabe que só fraternalmente unido no empenho e conservando o caminho, poderá um dia dizer que estamos chegando perto do sonho, ao alto sonho da Pátria definitivamente libertada. Que não haja dúvida então: Isso é o que nós estamos jogando com nossa decisão, hoje 15 de fevereiro!!!

Dizia o grande poeta Willian Blake em um aforismo: Assim como há um tempo para semear, há outro para a colheita. Sirva esta idéia para ilustrar o que quero advertir. Desde antes de haver chegado ao governo e o que fizemos nele, tem sido tempos de um paciente e laborioso semear. Algo temos recolhido, mas não basta. Hoje 15 de fevereiro, é a data para garantirmos o início do tempo de largas colheitas: o tempo de encher os caminhos desta bonita travessia em que estamos comprometidos todos por um porvir que seja nosso de verdade e não um simples acidente do tempo e da vida. Hoje 15 de fevereiro, logo após a vitória do SIM, bem que poderemos dizer com voz de Povo Unido: O porvir começa a ser nosso!!!

Não habitamos nem vivemos um país. Habitamos e vivemos um desafio, um desafio de Pátria. Por isso nossas conquistas sempre estarão um pouco mais além do que ganhamos, por isso é que tratar de dar-lhe consistência ao socialismo democrático é , para nós, uma permanente exigência: uma fronteira que há que vencer a cada dia.

Daí esse empenho sem descanso, porque simplesmente nós merecemos: o desafio de uma democracia autêntica e revolucionária, de participação plena e protagonismo pleno, é a idéia que nos leva a porta de nossa história; essa é a idéia poderosa que nos deve alentar porque como disse Victor Hugo: Nada há de mais poderoso que uma idéia que tenha chegado a seu tempo.
Finalmente, o adverte também o Eclesiastes: “ Todo o que vai ocorrer debaixo do sol tem sua hora”

É pois, a hora do povo…

Por isso repito:

Estou te esperando naquele lugar!!!

¡Venceremos!
(Tradução: Paulo Marques)

Nenhum comentário: